Morre no Rio o ator Zacarias, dos Trapalhões

Webnode
13-01-2011 08:04

O comediante Mauro Faccio Gonçalves, 56, o Zacarias do grupo humorístico Os Trapalhões, morreu ontem as 11h25, na Clinica São Vicente, na Gávea (zona sul do Rio). Segundo o boletim médico, as causas da morte foram insuficiência respiratória e síndrome de angustia respiratória em conseqüência de infecção pulmonar. Zacarias estava internado há nove dias e seu estado de saúde piorou na sexta-feira. A família pediu aos jornalistas que a morte do comediante não fosse atribuída AIDS. O corpo será enterrado em sua cidade natal, Sete Lagoas (MG).

Segundo a família, Zacarias foi internado com problemas respiratórios depois de ter iniciado por conta própria um regime alimentar a base de remédios. Ele começou o regime em dezembro e chegou a perder 20 quilos. A infecção pulmonar teria sido causada pela fraqueza do organismo decorrente do regime.

O comediante estava afastado das gravações do programa “Os Trapalhões”, que deverá voltar ao ar no próximo dia 25, ás 19h. Este ano, ele deveria participar como o maitre do Trapa-Hotel. A previsão da emissora era de que o comediante não participaria dos dois primeiros programas. O motivo alegado para sua licença médica era o tratamento de uma anemia. Em entrevistas á imprensa, Zacarias disse que sofria as conseqüências desse regime e negou que estivesse com AIDS.

Os humoristas Renato Aragão e Manfried Sant’Ana (Dedé) chegaram a clinica as 13h. Antonio Carlos Gomes, o Mussum, estava passeando de lancha em Angra dos Reis (a 151 Km do Rio) e até as 14 não havia sido localizado.

 

Ator iniciou carreira no rádio

(Da Reportagem Local)

 

Mauro Faccio Gonçalves, mais conhecido como Zacarias, nasceu em Sete Lagoas (MG) em 1934. Neto de imigrantes italianos, foi bancário e estudou arquitetura na Escola de Belas Artes de Belo Horizonte. Começou a carreira artística como humorista de rádio.

Zacarias foi ator de comédias teatrais e comerciais. Foi o homem do guarda-chuva em campanha do Banco Nacional. Em 1970 ganhou o prêmio de ator revelação com a peça “A Dama do Camarote”. Foi casado com Selma Lopes, com quem teve uma filha.

Em 1974 entrou para “Os Trapalhões”, grupo humorístico formado por Renato Aragão (Didi), Manfried Sant’Ana (Dedé) e Antonio Carlos Bernardes (Mussum). Foi o ultimo a ingressar no grupo, que surgia com o nome Os Insociáveis em 1964. O humor do grupo se caracterizou pelas misturas de situações de simplicidade quase infantil com o “nonsense”.

Depois de 15 anos de trabalho, Os Trapalhões se separaram em outubro de 1983, por divergência de ordem econômica – 80% dos lucros ficavam com Renato Aragão e só os 20% restantes eram divididos entre os outros. O grupo se reconciliou em fevereiro do ano seguinte. (FOLHA DE S. PAULO - segunda-feira, 19 de março de 1990 – ILUSTRADA E)

Webnode